abril 13, 2007

Amor

Posted in Posts às 9:11 pm por Antonio

Amor

Olá, caro leitor.

Deixe-me contar uma história interessante de algo que aconteceu comigo.

Em mais uma tarde como todas as outras, minha vizinha de longa data (praticamente desde quando eu nasci) veio visitar minha mãe, e acabei recebendo-a. Durante a espera pela minha mãe, aconteceu algo totalmente inusitado. Ela olhou pra mim e falou “Eu te amo”, e prosseguiu, “amo vocês três (eu e meus irmãos) desde que vocês eram pequenos, e rezo toda noite para Deus abençoar vocês”. Embora o fato seja bastante recente, eu não lembro do que falei depois, ou de minha expressão, só lembro que por dentro eu fiquei totalmente surpreso. A razão da surpresa não foi só o fato da declaração repentina, mas o fato de descobrir isso de uma pessoa para a qual eu não me importava.

Para complementar, deixe-me agora contar um segundo acontecimento. Recentemente, um aluno do meu curso faleceu, não sei a causa. O fato é que eu nem conhecia ele, e portanto nem me importei com sua morte. Eu sei que posso parecer um pouco frio dizendo isso, mas pelo menos estou sendo sincero. A notícia da morte do rapaz veio por intermédio de uma amiga minha, que também me passou o endereço do profile do orkut dele. Fui então ver os recados enviados para ele, e havia muitas mensagens tocantes de depois de sua morte, a maioria escrita por pessoas dizendo que amavam ele. Na minha opinião, já era tarde demais para dizer tais coisas, afinal, ele nunca poderá lê-las.

Talvez devêssemos dizer e demonstrar nossos sentimentos para com as pessoas que amamos o mais cedo possível, a exemplo de minha vizinha, pois um dia poderá ser tarde demais e poderemos nos arrepender amargamente…

Mais um post curto!

Que Deus abençoe a todos.

abril 7, 2007

Transporte coletivo – parte 1

Posted in Posts às 6:03 pm por Antonio

Transporte coletivo - parte 1

Olá, caro leitor.

Todos as manhãs, a rotina se repete. Saio de casa e embarco em um confortável ônibus, cheio de luxo. Tão cheio, mas tão cheio, que quase não consigo entrar. Cada passageiro tem uma história, uma razão para acordar cedo e um lugar diferente para ir, no entanto, essas pessoas têm algo muito importante em comum, ou não têm, para ser mais claro: um carro. Digo isso, pois duvido que alguém use o transporte coletivo por vontade própria. Pelo menos aqui em Campinas, tomar ônibus todas as manhãs é um saco. Os ônibus vivem lotados, a passagem é cara, você demora para chegar no destino (muitas vezes rodando a cidade inteira para chegar em um local perto de sua casa, no entanto longe o suficiente para que você não possa ir a pé). Além disso, ainda há algumas situações muitos bizarras que só acontecem durante a viagem (e que viagem) nos incríveis carros do transporte coletivo, como pessoas do tipo “Eu poderia estar matando, eu poderia estar roubando…” fingindo estar doentes ou pobres para ganhar dinheiro, ou jovens gritando no fundo do ônibus, ou aquela velhinha limpando caca de nariz ao seu lado (sim, isso já aconteceu comigo).

Baseado em um post muito antigo de minha amiga jornalista (que Deus a tenha), e considerando os longos anos de experiência que tenho no MSC (Movimento dos Sem-Carro. Tá bom, foi um lixo, eu sei), resolvi escrever um manual ensinando como se portar corretamente no ônibus. O objetivo de tal manual, é assegurar que viagens de ônibus tornem-se mais confortáveis pra todo mundo (melhorando o nível “Insuportável” para “Ruim”), sobretudo nos períodos de pico.

——————————-

COMO SE PORTAR EM UM ÔNIBUS – parte 1
Tudo o que você precisa saber

1. SOBRE MANOBRAS INESPERADAS
Após uma freiada brusca ou movimento repentino, nunca reclame em voz alta, muito menos com a pessoa do lado. Se tiver que tomar alguma ação, vá conversar o motorista para agradecê-lo, afinal, se ele agiu daquele jeito, foi para evitar um acidente. Se não fosse por seus reflexos rápidos, você perderia a viagem, e quem sabe a vida.

2. SOBRE FAZER NOVOS AMIGOS
Pessoas falantes, fofoqueiras, puxadoras de papo e afins, suas características não são um defeito, desde que algumas regras sejam seguidas. Primeiramente, há um grupo de seleto de pessoas cuja atenção nunca deve ser chamada. Esse grupo pode facilmente ser identificado por possuirem fones no ouvido e/ou estarem lendo algum documento. Não importa se sua avó morreu ontem, se um desastroso acidente aconteceu na rua ou se um tsunami está vindo na direção do ônibus, NUNCA puxe papo com essas pessoas. Chamar a atenção dessas pessoas só é permitido caso haja algo sobre a qual a pessoa deva realmente tomar ciência, assunto que é classificado assim com o uso do bom senso. Não, um elefante cor-de-rosa voando na janela ou o último resultado do seu time de futebol não se enquadra nessa classificação.
Caso não se trate de pessoas desse tipo, há uma chance de conversar, não se desespere. A aproximação deve ser feita com cautela, e alguns sinais devem ser observados de modo a saber se isso agradará a pessoa ou não. Primeiramente, chame a atenção da pessoa com algum comentário de sua preferência. O assunto em si não importa, se a pessoa realmente quiser conversar, o papo irá em frente, acredite. Caso a pessoa responda com boa vontade, e fale alguma outra coisa, parabéns, você acaba de encontrar uma pessoa conversadora como você. Caso você receba um “uhum”, ou um aceno de cabeça, ou simplesmente seja ignorado, isso significa que a pessoa não quer conversar. Esqueça isso e observe a paisagem, será a melhor coisa que você pode fazer.

3. SOBRE PASSAGEIROS SENTADOS
Caso você consiga um lugar sentado no ônibus, parabéns, você é uma pessoa de sorte. Já que você tem tanta sorte, que tal respeitar as pessoas que estão amontoadas de pé do seu lado? Pra fazer isso, simplesmente ocupe seu espaço corretamente. Não precisa sentar com as “pernonas arreganhadas” (a.k.a. pernas abertas demais) ou cotovelos ultrapassando seu espaço, isso vai atrapalhar as pessoas sem sorte e o passageiro sentado do seu lado. Essa norma não precisa ser cumprida por pessoas com mais de 200kg, grupo no qual você provavelmente não se encaixa, caro leitor.

4. SOBRE A AJUDA DOS PASSAGEIROS SENTADOS EM LEVAR BAGAGEM ALHEIA
Caso você seja sortudo e tenha conseguido um lugar sentado, é possível que apareça uma pessoa do seu lado que não teve a mesma sorte, e com o sofrimento adicional de ter que carregar a bolsa/sacola/material/etc na mão, dificultando seu apoio e piorando a já tortuosa viagem. Ofereça ajuda para carregar sua bagagem. Não importa se é homem, mulher, bonito(a), feia(a), que a pessoa seja caolha ou não tenha dentes, não faça distinções, com certeza você vai fazer uma pessoa mais feliz.
Exceção: a pessoa do seu lado é um mendigo sujo e/ou fedorento.

5. SOBRE APÊNDICES CORPORAIS
Uma das coisas mais incovenientes durante viagens de ônibus são estudantes, uma massa (paradoxalmente) sem cérebro e barulhenta. Um dos motivos da minha afirmação será dita agora, embora alguns outros serão apresentados no discorrer do texto. Essas criaturas usam mochilas, e não se importam se o ônibus está lotado ou se mochila está no meio do caminho, elas simplesmente não a tiram das costas. Dá a impressão que elas não percebem que mochilas ocupam espaço, ou parece que elas estão grudadas em seus corpos, ou que depois de tanto tempo com a mochila nas costas as pessoas vão perder o equilíbrio se tirá-la. A razão dessa atitude dos estudantes não interessa, o que importa é que ela incomoda bastante. Senhores(as) de mochila, por favor, retirem-na das costas ao se acomodar no ônibus. Você não vai morrer se colocá-la aos seus pés, apoiá-la em algum lugar ou pedir para alguém carregar, vai?

6. SOBRE INTERRUPÇÃO DE FLUXO DE PESSOAS
Já dizia o velho Newton (não sei se foi ele quem disse isso): “Dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo”. Para análise desse item, pode-se substituir “corpo” por “corpo humano” na frase. Por favor, caro passageiro, não fique no caminho. É impressionante como as pessoas tem propensão a ficar no meio do caminho, sem necessidade alguma, principalmente perto da porta. Caso você vá desembarcar várias e várias léguas após entrar no ônibus, por favor se acomode em um canto onde você não obstrua o caminho dos outros passageiros, o mais longe possível da porta. De preferência, procure um lugar na extremidade inversa ao da entrada, visto que as pessoas geralmente tem preguiça de chegar àquele lugar e ficam bem no meio do caminho. Claro que há situações especiais em que isso não é possível, mas de modo geral, a regra pode ser seguida.

8. SOBRE GRITOS, CONVERSAS ESCANDALOSAS E AFINS
Caro passageiro, concordo que há barulho do motor do ônibus e das outras pessoas conversando, no entanto, isso não é desculpa para manter a voz com uma intensidade bem acima das normas internacionais de boa convivência (não existe nada assim, porém seria bastante útil). De modo geral, não grite. Os seus assuntos não interessam pra ninguém, principalmente se você tiver uma voz aguda e irritante. Mantenha um nível de voz o mais baixo possível, suficiente apenas para que seu parceiro de conversa possa distingüir as palavras que saem da sua boca.
Um outro ponto interessante para mencionar nesse item é a bagunça de fundo de ônibus, mantida em 99,996512345% dos casos por estudantes. Meus caros, seus berros, imitações de animais e cantorias incomodam muito e fazem vocês parecem (os) idiotas (que são).
Outra coisa que não se deve fazer em hipótese alguma, é colocar a cabeça para fora da janela e gritar para alguém que está na rua, isso só fará você parecer um louco, causará contrangimento à pessoa chamada e aos demais passageiros.

——————————-

Seguindo a política de textos menores, chego ao fim por hoje. Em breve escreverei a parte 2 desse incrível e revolucionário manual que mudará sua vida, aguarde!

Que Deus abençoe a todos.