dezembro 28, 2006

Olhos Tristes

Posted in Posts às 9:46 pm por Antonio

Olá, caro leitor.

Meu incrível dom para não reparar nas coisas me surpreende. Apenas para te dar uma idéia, meu caro, se me separo de alguém em algum lugar, não consigo achar essa pessoa pela roupa, a não ser que eu faça um certo esforço antes para memorizar a cor. É típico de mim não reparar nas pessoas, nem no que elas vestem, nem em como mudaram desde a última vez que as vi, e muitas vezes nem de suas faces. Não sou do tipo observador, e para piorar a situação, minha memória está longe de ser digna de inveja. Já aconteceu várias vezes, inclusive, de eu esquecer do rosto de pessoas conhecidas, e conhecidas há muito tempo, devo mencionar. Esquecer eu me refiro a não conseguir montar a imagem da pessoa em minha mente, felizmente consigo reconhecê-las, o que é bastante conveniente. Claro que acabo reparando em algo que tenha algo que chame muita minha atenção, e um acontecimento como esse é justamente o assunto sobre o qual trata-se esse texto.

Certa tarde, estava voltando da faculdade, dentro do ônibus, perdido em pensamentos idiotas, aquela coisa de sempre que você com certeza já experimentou em momentos de desocupação. O fato é que entrou um homem, cuja face já não me recordo mais. Virando a cabeça para dar aquela olhada automática que geralmente não serve pra nada, acabei reparando nos olhos do sujeito. Segue, como de praxe, um apelo ao leitor para que não considere meus relatos como algo gay. Embora tenha certeza de que esse aviso não é necessário, por algum motivo sinto vontade de escrevê-lo. Mas enfim, voltando ao assunto, essa pessoa tinha uns olhos estranhos que me chamaram bastante a atenção. Eram olhos tristes. O motivo pelo qual digo que os olhos do homem eram tristes eu não sei ao certo, o fato é que o dono daqueles olhos, por algum motivo, me causava um certo sentimento de pena. Algum tempo depois o homem desceu do ônibus, mas não consegui esquecer os olhos dele. O pior é que lembrar deles, por algum outro motivo desconhecido, estava me deixando triste. Note que não há nenhuma lógica nisso que estou escrevendo, nem sei ao certo do que estou falando, isso é apenas um relato (inútil) de como me senti.

Decorrido algum tempo, continuei pensando nos olhos do homem, e misteriosamente lembrei dos olhos de duas pessoas, dois parentes na verdade. Um deles vi há alguns poucos anos, mas o outro não vejo desde que era criança. Eles tinham os olhos exatamente iguais ao da pessoa do ônibus. O que achei impressionante da história toda, foi ainda possuir a lembrança de um pequeno detalhe dessas pessoas distantes. Por algum motivo os olhos delas me impressionaram assim que as vi, e inconscientemente acabei formando a lembrança.

Cheguei em casa deprimido, embora nada demais tenha acontecido. O que as vezes me irrita não é o fato de eu não poder comandar meus sentimentos, mas sim de não entender a razão deles.

Após esse dia, fiquei bastante interessado nos olhos das pessoas, uma parte realmente interessante do corpo, e bela. Existem olhos mais bonitos que outros, mas todos são lindos. Repare nisso, caro leitor. Não consigo descobrir a razão pela qual muitas pessoas têm medo de olhar nos olhos das pessoas com as quais elas estão falando. Note nas pessoas que não te conhecem, caro leitor, mas com as quais você é de certa forma obrigado a conversar, um caixa de supermercado, por exemplo. Já reparou que essas pessoas falam sem olhar em seus olhos? Ficam sempre distraídas com outra coisa, ou fazem questão de se mostrarem assim. E você também, por acaso olha nos olhos enquanto ouve alguém? Qual a razão desse medo estranho?

Acabei de perceber que o texto ficou mais inútil do que eu pensava que ficaria. De qualquer maneira, estava pensando nesse tema há pouco tempo durante o banho e fiquei com muita vontade de escrever. Espero que tenha sido agradável de alguma forma. Sobre a imagem que precede o texto, infelizmente ele não é do tipo de olho que eu estava falando a respeito, olhos tristes do jeito que vi são realmente raros…

Que Deus abençoe a todos.

Anúncios

3 Comentários »

  1. Bruno said,

    Você não entende a razão dos seus sentimentos porque eles não tem razão.

  2. Antonio said,

    Olá, Bruno.

    Pois é, concordo plenamente com você. Mas isso de certo modo me incomoda…

    Abraço.

  3. Lara said,

    Bruno…

    Como já dizia o poeta, os olhos são as janelas da alma.
    Partindo desse ponto, acredito que são neles que refletem o nosso estado de espírito, seja positivo ou negativo.

    Gosto de olhar dentro dos olhos das pessoas quando estou a ouví-las e ao falar, é onde se expressam verdadeiramente o que se vai além de palavras.

    É um sentido extremamente mágico, poder olhar o mundo, com todas as suas cores e encantos, se expressar sem pronunciar uma única palavra…

    Gosto dos olhos, sejam tristes ou alegres, gosto do jeito que os interpreto, das tantas coisas vistas e das outras tantas que ainda irão ver.

    Beijocas coloridas na alma…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: