setembro 17, 2006

Sonho de futuro

Posted in Posts às 11:01 pm por Antonio

Olá, caro leitor.

Estou um pouco sentimental ultimamente, usaria o termo “fragilizado emocionalmente”, mas me pareceu um tanto quanto boilístico. De qualquer maneira, como você perceberá ao longo texto, uma onda de sentimentalismo tomou conta de meu ser e me fez ficar um pouco diferente do normal. Ao contrário da maioria das coisas que sinto, esse meu estado tem uma razão. Limito-me a dizer que tive uma péssima semana, em quase todos os sentidos. Não entrarei em detalhes, visto que minha vida não é pública, e não muito interessante. Apenas alguns amigos mais chegados conhecem algumas partes isoladas das coisas que aconteceram comigo, mas nenhum deles tem uma visão geral dos problemas. Prefiro assim, e não vou mudar, e não contarei mais do que cada um deve saber, e tenho dito.

Nada que acontece na vida parece ser de todo inútil, ou pelo menos podemos fazer com que os problemas não o sejam. Aproveito então esse estado emotivo no qual me encontro, um pouco menos depressivo agora, para botar pra fora minhas emoções e mostrar para o mundo meu desejo de futuro, o que realmente gostaria que acontecesse em minha vida. Tentarei contar em poucas linhas (muitas para os mais desinteressados) todos os acontecimentos de minha vida estulta e ordinária. Tudo começou assim…

Primeiro devo situar o leitor no tempo, estamos em 26 de dezembro de 1986, não tenho a mínima idéia das horas. Cirurgia marcada para o nascimento de uma criança. Para os médicos, apenas mais um parto. Esse acontecimento significa menos ainda para as demais pessoas, que ignoram totalmente o milagre do nascimento de uma nova vida. Para meus pais, esse é um momento de apreensão, e para mim, o dia mais importante de minha vida, afinal, nesse dia eu nasci. O que aconteceu depois eu não sei, só sei que nasci, e graças a Deus tudo correu bem, já que estou aqui. Mais um bebê no mundo.

Leitor, para fazer a leitura que quero que você faça, peço que use sua imaginação. Situe-se no texto como se estivesse vivendo. Imagine-se dentro de um filme, em que você seja um personagem invisível que presencia tudo o que acontece. Imagine! Esse é o segredo! Essa é a magia que tentarei criar a seguir.

Bem, agora em câmera rápida, acelere toda a vida desse bebê, pense nele crescendo e tornando-se um homem. Pare aqui, sua infância merece alguns comentários. Ele foi uma criança amada, amor é o que não faltou em sua vida. Foi sempre muito tímido e fechado, e cheio de problemas sentimentais e alguns outros problemas que ele mesmo criava em sua cabeça. Gostaria de falar que foi uma criança feliz, mas infelizmente não posso dizer isso, essa criança sofreu bastante, apesar da família que o amava. O problema eram as outras crianças, as outras pessoas e um pouco dele mesmo. Mas tudo bem, problemas parcialmente superados, e essa criança continua crescendo. Chegamos na adolescência, e ele continua crescendo… 17… 18… 19… quase 20 e pronto. Chegamos ao momento atual, a esse mesmo dia, exatamente nessa mesma hora em que você está lendo esse texto. Continuarei a narrativa, como se tudo acontecesse conforme a vontade desse homem…

Finalmente, depois de algum sacrifício, esse homem termina a faculdade. Não foi um aluno de destaque, devo mencionar, mas foi um bom aluno. Ele está muito feliz por ter conseguido terminar a faculdade no tempo previsto, apesar de ter sido muito preguiçoso com os estudos. Uma nova era começa em sua vida. Consegue então um bom emprego em uma empresa, em que consegue prosperar. Não tem problemas com dinheiro, ganha bem, compra tudo o que deseja (claro que ele não tem desejos absurdos) e consegue, em conjunto com os irmãos recém-formados, dar uma boa vida a seus pais, agora aposentados.

Conto novamente com sua abstração, caro leitor. Retorne a vida desse rapaz até um momento entre o ingresso na faculdade e o momento atual da narração. Nesse momento, esse mesmo que você imaginou, esse rapaz encontra a mulher de sua vida. Começam como amigos e começam a se amar. Juram então ficar juntos para sempre. Mal imaginam eles que isso realmente iria acontecer…

Novamente avance até o momento da narrativa. Percebe-se agora que esse rapaz está feliz, afinal, não tem problemas com dinheiro, consegue manter seus pais felizes e está muito contente com sua namorada. Depois de algum tempo, o rapaz e sua namorada resolvem se casar. O casamento foi comum, como todos os outros. Algumas mulheres chorando, algumas pessoas falsas cumprimentando o casal fingindo que gostam dele, e um momento feliz para os noivos.

Novamente faça uso de sua imaginação, e avance alguns meses na história…

Da união do casal nasce uma criança, muito saudável. Chegamos agora a uma indecisão na narrativa. Não se sabe se foi um menino ou uma menina que nasceu. O autor-protagonista da história gostaria igualmente de qualquer sexo. Chegamos então a uma bifurcação na história.

Imagine que seja um garoto. O menino cresceu, sob excelente orientação de seus pais. O pai conhece muito bem sua situação, afinal, já fora garoto um dia. Ele rezava todos os dias para que Deus o ajudasse a dar uma boa educação a seu filho. Ele fez o possível também para que o filho não sofresse os mesmos problemas que ele. A criança cresceu, amada e em boas condições, de modo que fosse inteligente e tivesse uma boa saúde. Continuou crescendo então, até que se tornou um homem.

Leitor, retorne agora ao momento do nascimento da criança. Imagine agora que nasceu uma menina. Tudo ocorreu como foi citado acima, com a diferença que o pai não conhecia muito bem os problemas que sua filha possuia. Ele contou então com a ajuda de sua mulher, e com isso puderam dar uma excelente educação à criança, que cresceu e cresceu, e finalmente tornou-se uma mulher.

Os dois ramos da história novamente se encontram, o que permite que você continue vivendo os acontecimentos normalmente. Antes de prosseguir, quero que você volte um pouco na história, no momento em que o filho do casal ainda era uma criança. Veja os momentos felizes que os avós, pais dos protagonista, viveram com a criança. A criança realmente veio para iluminar a vida de todos: passou a ser o sentido da vida de seus pais e avós. Como naturalmente ocorre com todas as coisas vivas, os avós morreram. Primeiro o avô, como geralmente acontece, e pouco tempo depois, a avó. Morreram felizes, e o protagonista encarou a morte deles conformado, e de certa forma feliz, afinal, pudera dar um final de vida feliz para aqueles que tinham se esforçado muito para seu bem.

Avance novamente na história, e veja a criança crescendo. Note que foi desejo do casal ter apenas um filho, para que assim pudessem ter muito tempo pra ele e pudessem dar a ele as melhores condições. Continue avançando até chegar na data da formatura da faculdade do filho/a do casal, mas pare aí, essa cena merece alguns comentários.

Alguem lá na frente chama o nome do filho (será encarado como homem de agora em diante, mas os acontecimentos ocorrem da mesma maneira caso seja uma mulher), ele sobe as escadas e recebe o diploma. A mãe está aos prantos, e o pai segura o choro, tentando parecer forte, coisa que nunca fora na vida. O filho desce as escadas com um sorriso, e recebe muitos abraços e beijos de seus pais.

Avance mais na história. Veja, em câmera rápida, o pai envelhecendo e se aposentando. Felizmente, Deus poupou-o de sofrer de problemas mentais na velhice, e deixou-o sóbrio até o final de sua vida. Avance mais um pouco… mais um pouco… e aí, pare aí, no leito de morte do protagonista.

Vemos ele deitado em uma cama de hospital, em um estado de saúde muito ruim. Embora ainda haja chances dele sobreviver, possibilidade fervorosamente repetida pelos médicos, ele está conformado com a sua morte, e, de certa forma, sabe que vai morrer. De repente, ele sente algo estranho, e percebe que não vai sobreviver. Pede então para chamar seu filho, para fazer companhia a ele e sua mulher, que há muito não dormia de preocupação e estava há vários dias sentada ao seu lado. Seu filho chega, segura sua mão esquerda. O velhinho, então, com sua mão direita, agarra a mão de sua esposa. Ninguém fala, só se olham numa comunicação silenciosa e cheia de sentimentos. Se a pessoa que estivesse à sua esquerda fosse uma mulher, estaria há muito chorando silenciosamente. Se fosse um homem, estaria com a face triste, mas segurando o choro e mostrando-se forte como sempre foi. Nesse momento, o velho sente uma dor, aperta a mão de seus familiares e diz que ama eles, entregando sua alma a Deus logo em seguida. Ele morre com o rosto sereno e com o sentimento de que tudo valeu a pena. Sua esposa e seu filho ou filha se abraçam, chorando muito, e assim acaba a vida de um homem. O que aconteceu depois? O velhinho não sabe. A única coisa que sabe é que deixou mais uma pessoa no mundo que terá outra história para contar. Espero, do fundo do meu coração, que essa história seja ainda mais feliz, e que nela essa criança possa falar bem de seu pai.

Bem, assim acaba a história da minha vida. Ficaria muito feliz se tudo isso acontecesse e eu pudesse ter a vida que desejo. Mas quem sabe o que acontecerá? Será que serei feliz? De qualquer maneira, deixe-me sonhar, até que todo esse sentimentalismo acabe.

Que Deus abençoe a todos.

Anúncios

23 Comentários »

  1. Uruz 7 said,

    Man… thats very exciting.. i allmost cried.. but i’m a men and mens don’t cry… but who cares.. nothing about mens crieing its normal, but your dreams are very good told, i hope it can really happen in your life time =D if not.. i will allways be by your side as a friend together with allot more peoples and you will never be alone =)

    hugs man =)
    S.L.

  2. Antonio said,

    Hi Stephen.

    I know you asked me to not say that, but men can cry too :p. But that’s ok, you’re an Uruz member, and an Uruz never cries.

    Thanks for the wishes. I’m happy to know that while I have good friends like you, I’ll never stay alone, even if no woman keeps close to me and I stay single forever o.O’

    Thanks for the visit my friend.

    Hugs,
    Uruz 1.

  3. Antares said,

    Você escreve muito bem Antônio, não imaginava que um engenheiro pudesse ter toda esta desenvoltura a contar uma narração, meus parabéns. Tomara que a sua vida seja semelhante ao que vc deseja, mas que vc tenha mais filhos, rss. Um abraço e fica com Deus…

  4. Antonio said,

    Olá, Antares.

    Obrigado pelos elogios, fico feliz que tenha gostado da maneira como escrevo :). Sobre a idéia de ter mais filhos, devo mencionar que posso mudar de idéia, e há muito tempo para decidir isso, afinal, não achei a mulher da minha vida ainda :).

    Abraço, obrigado mesmo pela visita, e fique com Deus você também.

  5. Dayane said,

    Nossa.. que profundo!
    me senti no filme efeito borboleta agora.. =P

    o importante é ter saúde.. =] hehe

  6. Antonio said,

    Olá, Dayane.

    Sentiu-se mesmo? Então você entrou no clima que eu queria 🙂

    Obrigado pela visita,
    Beijo.

  7. Inara said,

    Olááá!!!

    Amigo, devo confessar que esse texto me emocionou bastante, eu quase chorei no momento d sua partida. =(

    Vc nao me pareceu uma pessoa muito exigente em relação aos seus sonhos, e isso aumenta as chances de acontecerem coisas boas, além do previsto, em sua vida. Tenho ctza d ela vai ser ainda melhor! A mulher amada e amigos não vão faltar! 😉

    Bjos amigo! Fique com Deus!

  8. Antonio said,

    Olá, Inara.

    Realmente não desejei nada absurdo, né? Se Deus quiser acontecerão coisas boas mesmo :).
    Mulher amada eu não sei se aparece, mas conhecendo pessoas como você, tenho certeza que amigos não irão faltar mesmo 🙂

    Beijo, fique com Deus.

  9. Lucas said,

    é muito singelo o que espera da vida.

  10. Sandra said,

    Olá…
    Estou em um daqueles momentos após o almoço em que busco algo interessante para lêr na internet. E achei você nos favoritos de um amigo. Como sei o quanto esse amigo é exigente, decidi entrar no seu blog e conferir.
    Que grata surpresa! Poucos são os blogs que me fazem lêr um texto imenso até o final…
    Você escreve bem… acho que gosta de escrever!!
    Isso é bom!!
    Já adicionei você aos meus favoritos. Espero têr outras boas surpresas com seus post.
    Beijos

  11. Antonio said,

    Olá, Lucas.

    Pois é, singelo mesmo. Mas como dizem por aí, a felicidade está nas coisas simples 🙂

    Abraço, e obrigado pela visita.

  12. Antonio said,

    Olá, Sandra.

    Você não sabe o quanto me alegra ficar sabendo de pessoas desconhecidas que apareceram aqui para ler meus textos :). Fiquei mais feliz ainda por saber que vocÊ gostou desse texto xD
    Obrigado pelos elogios, e espero não te decepcionar com meus textos futuros. Volte sempre xD

    Beijos.

  13. André said,

    eu juro que não li nada!

  14. Antonio said,

    Fala, André.

    Interessante minha tática de marketing, não? O legal é que realmente funciona hehe.

    Abraço, e obrigado pela visita.

  15. Catita said,

    Oi Tonhu…
    ainda num li este texto… só li os de baixo…
    legal o lance do Bolo.. hehehe
    e para de odiar as coisas hein! rss
    se naum vc vira gay tbm….. kkk…
    vou ler este aki agora!
    big bju …
    depois comento aki di novu! rss
    t+

  16. Catita said,

    Ai agora eu Li!
    q lindu…… legal ver q os outros tbm tem sentimentos p/ o futuro.. e esperanças tbm….

    +….. tenhu questões… rss
    vc tem irmãos?! num sabia! vc é filho único.. eu lembro disso! rss vc falou q os irmãos se juntarias p/ cuidar dos pais aposentados!ué!
    num to entendendu!
    Ah + mesmo achandu sua narrativa ótima… acredito q vc poderia ter mencioado mais os momentos felizes passados durante a vida!
    a não ser q vc não almeje certas coisas p/ sua vida e de sua família! rs
    tipo… viagens… 1° festa de niver do seu filho, ter mais filhos p/ q eles possam dar trabalho e brigar entre si… rss, p/ q os filhos deles possam ter tios (coisas q vc tbm não mencionou na sua vida e na do seu filho tbm, tios, primos, etc… acho estas coisas mtu importantes!)
    Do mais…. cada um é cada um…
    num sei se me conformaria c/ a morte dos meus pais… anão ser q eles tivessem sofrendo em vida… eu sou mtu covarde em relação a morte.. acredito q não me conformaria c/ a minha… hehe
    Gosto mtu de textos q me fazem pensar q eu num sonho sozinha neste mundo… q eu num “viajo” no futuro… pq sou loka! hehehe…
    só um pokinhu né…. e se eu for loka… vc tbm é! kkkk….
    bjão tonhu…
    continuarei visitandu! t+

  17. Antonio said,

    Olá, Cátião xD
    Pra começar, obrigado pelo GRANDE comentário, em todos os sentidos da palavra xD

    Acredito que ter esperanças para o futuro seja inerente da raça humana, não? Afinal, o que move nossas vidas? A esperança de felicidade, de bons acontecimentos, coisas desse tipo. O que fiz, não foi nada mais do que expressar o que gostaria que acontecesse. Foi bem legal, sabia? Talvez você devesse fazer o mesmo, o que acha?

    Sobre as dúvidas 🙂

    Eu não sou filho único, tenho dois irmãos. Não lembra disso? Até que minha irmã era bixete nossa no terceiro ano…

    Sobre a falta de detalhes, tem duas razões para tal acontecimento. A primeira é que o texto já estava ficando longo demais, e a outra razão é que só mencionei o mais importante, o que realmente gostaria que acontecesse. Esses outros acontecimentos, como o aniversário, seriam coisas que aconteceriam naturalmente, e só serviriam para completar a felicidade. Talvez tenha sido porque não pensei nisso também que não escrevi, nem eu sei direito 🙂

    Sobre ter mais filhos, eu realmente gostaria de ter apenas um único filho, para que pudesse me dedicar integralmente a ele. Mas lembre-se que isso é só o que eu espero que aconteça, provavelmente acontecerão coisas inesperadas que me farão mais feliz (ou mais triste), e quem sabe você esteja certa e ter mais filhos seria bom… Mas, como eu disse no final do texto, quem sabe o que irá acontecer?

    Sobre a família do meu filho, realmente é algo que não me importo muito…

    Sobre me conformar com a morte dos meus pais. Note que manifestei apenas meu desejo de ficar conformado com esse fato inevitável, apenas o que gostaria que acontecesse, não o que realmente acontecerá. Eu não sei se serei capaz de me conformar também. E acredite, ser covarde em relação à morte é outra característica inerente da nossa raça 🙂

    Fico muito feliz que meu texto tenha te feito bem. Viajar de vez em quando pelas idéias, sentimentos e desejos faz bem, não? Que bom que você tem esse hábito também. E concordo com você, somos loucos. Encare como um elogio, afinal, ser diferente é uma coisa boa, não? xD

    Um beijo pra você Cátia, tô com saudade. Obrigado pela visita e pelo comentário. Espero não poluir muito sua cabeça com meus textos de agora em diante hehe.

  18. Luis Fernando said,

    Ola cara…
    Pela leitura desse texto e do blog como um tudo pude perceber que você é um homem muito sentimental.O mundo precisa de homens sentimentais assim.Se você estiver sozinho no momento, eu queria te convidar a entrar no mundo maravilhoso ao qual entrei a algum tempo. Nesse mundo você vai encontrar muito amor, sem preconceito.
    Eu ainda voltarei a escrever para você, ok???
    Beijos para você então. Nos veremos denovo.

  19. Antonio said,

    Olá, meu caro amigo que estava usando o IP 200.144.119.2. Diria que há 99% de chances de você ser algum amigo me sacaneando. Caso eu esteja enganado, ou seja, 1% de chances disso ter acontecido, não escreva. Não aprovarei mais seus comentários. Owari.

  20. Ana Clara said,

    Olá, meu caro amigo.
    Não queria entrar na pieguice de comentar sobre o sentimentalismo de teu texto, portanto guardo as partes melosas para o desfrute interno. Enquanto isto, posso relatar, com a frieza calculista de uma analisadora de texto, o avanço de tua escrita. A habilidade em amarrar o leitor enquanto interrompe bruscamente as idas e vindas temporais desperta um dinamismo surpreendente. Portanto, meu caro, continue avançando e, em certo sentido, poderá até superar as complexidades e a beleza de muitos textos escritos pelos que se auto declaram “literatos” ou “escritores”.
    Mil beijos
    Ana Clara

  21. Antonio said,

    Oi Ana, tava esperando o seu comentário xD.
    Adorei os elogios, fiquei muito feliz de recebê-los de uma jornalista. Vou tentar mesmo melhorar, quem sabe um dia eu fique bom, e consiga fazer com que suas previsões realmente se concretizarem.
    Um beijão pra você.

  22. Suzana said,

    eu sonhei a minha inteira… minha infância e adolescência… mas nada acontece exatamente como imaginamos…pode ser parecido.. quase igual…mas não é igual…os sonhos sempre são melhores…pq neles as pessoas são melhores.. os sentimentos são melhores… porém o que deixa a vida essa aventura tão incerta é a vontade de fazê-la exatamente como sonhamos…
    Não vou deixar aqui aquelas frases padrões do tipo: “vc vai conseguir, vc merece ou nunca deixe de sonhar”… só digo que busque arriscar… que busque principalmente VIVER… sem deixar o medo, a baixa auto-estima ou qualquer outra coisa interferir….
    Talvez esse seja só mais um comentário… mas quem dera as pessoas pensassem pelo menos 1/3 do que vc pensa.. o mundo seria muito melhor…
    Acho que devia escrever um livro… rs… o título já tem….

    até + moço….

    bjx

  23. andrea said,

    Sonhei com minha avó morta a 32 anos morta ela mim abraçava e estava muito feliz


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: