julho 9, 2006

Instinto assassino

Posted in Posts às 9:14 pm por Antonio

Olá leitor.

Meu comportamento anda muito estranho ultimamente. Eu já fui uma criança bondosa, que me preocupava muito com tudo e com todos. Para você ter uma idéia, tinha dó de matar insetos. A idéia de tirar a vida de um ser, mesmo que pequeno, me atormentava. Que direito eu tinha de destruir a existência de uma criatura de Deus? Pensava que essa era uma ação inadmissível. Mas não eram só com os insetos, claro. As plantas também. Ficava com muita raiva de minha irmã quando ela, propositalmente, destruia as plantas da casa. Essa simples ação me parecia um assassinato. Qualquer coisa dita viva era merecedora de minha piedade e compaixão. Pois é, leitor, eu mudei, e muito… eu cresci.

Como todo ser crescido, me acostumei com as desgraças da vida. Quem lê isso vai achar que tive uma vida miserável, e passei fome, e me maltratavam, ou algo assim. Não, graças a Deus tive uma vida traqüila. Quando digo desgraças, refiro-me a assassinatos mostrados na televisão, desastres naturais e coisas do tipo. Estou totalmente acostumado com esses fatos, e eles não me comovem em nada. Seres humanos morrendo aos montes, e eu, uma pessoa que se sentia dó de insetos, não me importo mais nem com pessoas. Inclusive, mato muitos insetos diariamente. Meu quarto, estrategicamente localizado no quintal, favorece a vinda dos mais variados animais, que mato com gosto, principalmente pernilongos. Vê-los mortos causa uma satisfação interessante, é como uma vingança, afinal, eles vieram aqui pra me devorar, e acabaram mutilados em uma mancha de sangue (meu) na parede.

Mas já estou fugindo do tema principal. Você, leitor atento, deve estar se perguntando sobre o comportamento estranho ao qual me referi no começo do texto. Falarei sobre ele para você se preocupar comigo. Ou talvez não. Pode ser que você seja um desconhecido, ou um mero conhecido, ou quem sabe um amigo não muito próximo. Nesses casos, não haverá preocupação alguma de sua parte. Mas mesmo que você seja um grande amigo, não há motivo para se incomodar, estou apenas exagerando. Como dizem algumas pessoas, sou dramático demais.

Desculpe por voltar a mencionar esse maldito acontecimento (felizmente acabado), mas falarei sobre Copa do Mundo. As partidas que mais gostei foram as mais violentas, e acredite, isso não foi mera coincidência. Houve uma partida violenta que perdi, em que um jogador de sabe-se lá qual time ficou com a cara toda ensagüentada, e alguns jogadores foram expulsos devido a carrinhos violentos. O mais estranho foi eu ter procurado o vídeo com as melhores cenas do jogo para me divertir com a pancadaria dos jogadores. Mas vejo que o responsável pela montagem desse vídeo não é tão diferente de mim, afinal, ele colocou as melhores agressões nos “melhores momentos”.

Outro fato interessante aconteceu hoje, na final da Copa. Achei o máximo a cabeçada do Zidane no jogador italiano. Caso você não tenha visto essa cena maravilhosa (note a maldade que se apropriou de mim), faço questão de mostrá-la:

Deixe-me contar outra coisa sem noção que me divertiu. Hoje eu assisti a uma parte de Super Nanny (olhe o que as férias fazem com um ser humano). Nessa parte, a mãe perdeu a paciência com o filho e começou a bater nele. Eu morri de rir com essa cena. Um prazer estranho tomou conta de mim e eu comecei a gargalhar. Eu apanhei quando era criança, sei a sensação, devia sentir dó. Mas não, fui cruel.

O que contei até aqui já seria suficiente para você me chamar de maluco, mas não se afobe, o pior vem agora. O cúmulo de minha maldade foi um pensamento que tive agora pouco. Inspirado pelas grandes cenas de Super Nanny, fiquei imaginando como seria se eu jogasse uma bola de basquete na cabeça daquela criança. Esse pensamento foi a gota d’água. Graças a ele, resolvi escrever aqui e declarar publicamente que estou ficando louco.

E você, o que acha dessa situação, leitor? Estou realmente ficando maluco? Estou liberando meu lado assassino? Estaria eu virando uma pessoa anormal? Ou quem sabe estaria me tornando uma pessoa normal? Duvido que você tenha alguma resposta, afinal, você também é um estulto que pensa coisas estúpidas, age de maneira estúpida e se diverte com coisas estúpidas. Mas finja que é uma pessoa de bem, e me chame de maluco, não vou ficar bravo, eu compreendo sua situação, você tem que manter sua imagem perante à sociedade.

Que Deus abençoe a todos.

Anúncios

5 Comentários »

  1. Dayane said,

    A melhor coisa que vc postou no seu blog!!
    Essa copa foi tão lixo.. que, sem dúvidas, os melhores momentos foram os da pancadarias…
    Me surpreendi ao saber que vc não matava insetos.. ahauauaauabauaaua que hilário!!!

    Minha teoria é que você virou um garotinho mau depois de apanhar e levar unhadas da sua irmã…=]

  2. Patricia said,

    Olá Antonio!

    Desculpe a intrusao! Vc nao me conhece, mas a leitura de seu blog foi recomendado pela Ana Clara!

    Achei seu devaneio muito intrigante…e de urgencia reflexao…às vezes tambem me surpreendo em considerar com grande naturalidade fatos evidentemente desumanos. E entao ‘desperto’ preocupada, procurando minha humanidade e sensibilidade no caos e na multiplicidade de relacoes que nem 10% delas consigo absorver.

    Nao saberia dizer se vc esta maluco..mas me agrada saber que vc esta consciente 😉

    Bjs e ate a proxima 😉

  3. Uruz 7 said,

    Bem, eu acho que… o que eu posso dizer.. bem vindo a turma dos caras do mal D=

    Hugs man… May god be with you
    S.L.

  4. Ana Clara said,

    O primeiro passo para a liberação de um sentimento é sua exposição e consciência. Fique certo de que seu instinto assassino, apesar de sair de suas mais profundas entranhas, não ultrapassaram a barreira do Superego. E não é papo de psicanalista freudiano de consultório de quinta, a própria consciência de seu instinto já é um grande passo para seu bloqueio frente à sociedade. Preocupante mesmo é a internação disto no subconsciente mais profundo, alimentando outros sentimentos mais desumanos e, do subconsciente para a ação, é uma linha muito tênue. Portanto, psicopata assassino você não vai virar. Agora, isto não exclui a possibilidade de você se tornar um maluco compulsivo por jogar bolas de basquete em cabeças de criancinhas… aheuiaheiuaheiua… brincadeira. Só fique esperto com aquilo que não “sai”…
    daí é preocupante… hehehehe
    Beijos!!

  5. Thiago said,

    Não acredito que esteja ficando maluko, mas é apenas mais uma pessoa no meio de uma multidão de psicopatas. caso não encontre uma solução para mudar esses pensamentos sugiro que evite esterna-los pois isso só trará tristeza e infelicidade para as pessoas que o cercam. E isso é oque o mundo menos precisa na busca pela sobrevivencia da humanidade !!!!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: